Viewing entries in the category frutos do mar

O serviço de entrega de comida em casa é um elemento interessante para analisar os hábitos alimentares de um local. São Paulo é a terra da pizza, e também da pizza em domicílio. Tivemos a febre da comida chinesa, uma cópia dos hábitos norte-americanos, coisa que brasileiro tanto gosta de fazer. Agora em São Paulo ~~ terra gourmet ~~ entrega-se de quase tudo em casa. Mesmo aquelas comidas que não viajam bem. Conheço gente que pede batata-frita em domicílio e acha que está fazendo um super negócio. Para mim, não dá.

Pois bem. Quando passei um tempo em Londres, a comida mais pedida pelo telefone para ser entregue em casa eram os curries. Estava em dúvida se ainda era assim. A turma que mora em Londres me ajudou.  A Liliana disse que os curries ainda são os campeões de audiência do take away londrino. A Helô também, mas já vê muita pizza ameaçando o reinado dos curries por lá. Enfim, eu tenho saudades daqueles curries fumegantes, “quentes” nos dois sentidos, que alimentavam corpo e alma no frio londrino.

Hoje está fazendo um calor daqueles e nem é dia para falar neste assunto. Mas faz um tempo que estou com desejo de fazer – e de comer – um bom curry.  Daqueles que a gente pede em casa em Londres ou, melhor ainda, que come nos bons restaurantes indianos na Inglaterra. Se tem coisa que tenho saudade em Londres é dos restaurantes indianos.

Este curry foi uma invenção minha. Queria acrescentar legumes ao peixe e camarão e tornar o prato bem completo para quem, como eu, não anda comendo arroz por conta de uma dieta. Puxei referências daqui e dali  e na hora fiz muitas adaptações na receita planejada. Tem ingredientes indianos e outros não, como o vinho branco.  Podia ter dado muito errado. mas deu muito certo ;-)

Façam!

 

Curry de peixe, camarões e legumes

80 g de manteiga
3 alhos porós (só a parte branca)
3 col (sopa) de farinha de trigo
2 col (sopa) de curry em pó
2 col (chá) de sal
1 ½ xíc (chá) de vinho branco
2 xíc (chá) de ervilhas tortas cortadas ao meio
2 xíc (chá) de couve-flor em pequenos buquês
3 xíc (chá) de caldo de legumes ( ou água mesmo)
1 xíc (chá) ou 1 garrafinha de leite de coco
1 kg de peixe (namorado ou robalo de preferência) em postas
500 g de camarões limpos grandes
1 xíc (chá) de creme de leite fresco
1 col (sopa) de coentro fresco picado
mais sal e curry para acertar o sabor no final (coloquei mais ½ col (chá) de sal e mais 1 col (sopa) de curry)

O segredo deste prato é não deixar os legumes, o peixe e o camarão cozinharem demais. Assim, é importante controlar o tempo de cozimento de cada item. Sempre no fogo médio para baixo. Primeiro, refogar o alho poró na manteiga. Quando murchar, acrescentar a farinha, o curry e o sal e mexer bem para incorporar. Acrescentar o vinho e deixar reduzir, mexendo sempre. Colocar a couve-flor e a ervilha-torta, refogar ligeiramente e acrescentar o caldo de legumes. Aumentar o fogo e depois de levantar fervura, baixar novamente e deixar cozinhar por 5 minutos. Acrescentar o leite de coco e as postas de peixe. Sem mexer para não desmanchar o peixe, deixar cozinhar mais 5 minutos. Em seguida, colocar o camarão e deixar cozinhar mais 5 minutos. Desligar o fogo e juntar cuidadosamente o creme de leite fresco e o coentro picado. Provar e polvilhar mais curry e mais sal se necessário. Eu coloquei mais ½ col (chá) de sal e mais 1 col (sopa) de curry!

 

 

Compartilhar/Favoritos

Sou simplesmente enlouquecida por polvo. E sempre que há polvo no menu considero seriamente pedi-lo. Já comi pratos com polvo excelentes em São Paulo. Acredito que os melhores tenham sido no Chou, no Sal Gastronomia e no Epice. Também comi um bom polvo no Adega Santiago. Mas foi em Portugal, em Óbidos, que comi um polvo a lagareiro inesquecível. Não tem jeito: faz parte da magia de um bom prato – assim como de um bom vinho – o lugar onde os provamos.

Tudo isto para contar que num sábado de preguiça, antecipando nossa volta definitiva a São Paulo, fizemos um almoço de família onde o prato principal foi este risoto de polvo. Adaptado de uma receita de arroz de polvo dada pela Helena M., amiga da minha mãe. O legal desta receita é que ela é relativamente descomplicada. Mexer com polvo não é fácil, há cozinheiros que têm seus truques, mas nem sempre os cozinheiros de final de semana como eu conseguem por em prática alguns dos macetes. Esta receita qualquer um pode fazer, não têm muito mistério e fica muito gostosa. E vamos a ela :-)

Risoto de polvo

1 polvo de aproximadamente 2 kg
1 1/2 xícara (chá) de vinho tinto
2 folhas de louro
2 cebolas grandes
2 colheres (sopa) de azeite
1/2 xícara (chá) de vinho branco
1 xícara (chá) de arroz arborio
4 tomates sem pele e sem sementes
1 xícara (chá) de ervilhas congeladas
1/2 pimenta dedo-de-moça picada bem fininho e sem as sementes
1 a 2 colheres (chá) de sal
1 a 2 colheres (sopa) de manteiga sem sal

Compre um polvo congelado, já limpo e sem a cabeça.  Coloque-o em uma panela de pressão com o vinho tinto, uma cebola cortada ao meio e as folhas de louro. Deixe o polvo cozinhar por 10 minutos depois que iniciar a fervura. Desligue o fogo e espere 20 minutos antes de abrir a panela. Retire o polvo, espere esfriar um pouco, passe na água corrente e corte-o em pedaços da largura de um dedo. Retire a cebola e o louro e reserve o líquido do cozimento. Isto pode ser feito com certa antecedência e deixar só o preparo do risoto para a hora de comer.

Coloque o líquido do cozimento para ferver. Deixe em fogo bem baixo para não esfriar. Numa panela colocar o azeite e refogar uma cebola bem picadinha. Juntar o arroz arborio, mexer por um minuto e colocar o vinho branco. Deixar e vaporar. Abaixar o fogo e cozinhar o arroz, sem parar de mexer, colocando aos poucos o líquido quente. Se precisar, juntar um pouco de água fervente até o arroz ficar cozido. Faltando alguns minutos para isto juntar os tomates, a ervilha e o sal. Assim que o arroz estiver pronto, juntar o polvo e a pimenta dedo-de-moça. Misturar delicadamente, desligar o fogo e juntar a manteiga. Mexer mais um pouco e servir.

Em tempo: o Rosmarino agora entra em férias, merecido descanso depois da mudança. Voltaremos à programação normal no ano que vem.  Boas festas a todos!

Há três semanas contei aqui do jantar Interblogs que fizemos junto com o DCPV. No post do Edu estão as fotos do jantar e da produção dos pratos. Nesta sequência de posts, algumas das receitas que fizeram parte do menu Fusion Fun Praias, desta vez o prato principal, o camarão com molho picante. Ele representa as Ilhas Seychelles e Maurício. A foto é minha, ‘de casa’ mesmo, antiga como a receita.

Camarão com molho picante

A receita do camarão picante foi criada depois de uma fase de amor puro e verdadeiro com a comida indiana. Comprei um livro chamado Curries Made Simple e a partir daí forrei a despensa com os temperos indianos básicos e comecei as experimentações. Esta foi especialmente feliz. Criação minha :)

1 col (sopa) de manteiga
2 cebolas bem picadas
4 tomates sem pele e sem sementes bem picados
1 col (café) rasa de garam masala
1 col (café) rasa de cominho em pó
1 col (café) rasa de curry
¼ col (café) rasa de pimenta chili vermelha em pó
2 col (café) rasas de sal
500 g de camarão rosa limpo
½ limão
150 ml de creme de leite fresco
1 col (sopa) de coentro fresco picado (opcional)

Derreta a manteiga e frite a cebola até ficar transparente. Junte o tomate, o garam masala, o cominho, o curry, a pimenta e o sal. Misture e deixe cozinhar até virar um molho. Esprema o limão sobre o camarão e leve-o à panela. Tampe e deixe cozinhar no fogo médio por exatos 5 minutos. Apague o fogo, junte o creme de leite e salpique o coentro fresco. Sirva imediatamente com arroz basmati simples.