Viewing entries in the category comida americana

Neste post de 2009 falei de algumas tradicionais delícias de comer em Nova York: o New York cheesecake da Lindy’s, o arroz doce da Rice to Riches e os cupcakes badalados da Magnolia Bakery.  Neste post do ano passado, falei sobre dois lugares em Nova York indicados pelo David Lebovitz, o Baby Cakes e o Doughnut Factory. O primeiro é muito legal para os vegans ou para quem tem restrições alimentares e o último, em especial, vale uma visita, foram as melhores donuts que comi na vida. Desta vez, visitei alguns lugares do ‘circuito Lebovitz’ mas fiz também meu próprio circuito. Algumas boas surpresas e outras nem tanto. Todos estes lugares ficam no sul de Manhattan, em especial no Chelsea, Soho, Nolita, East Village e Lower East Side.

O David Lebovitz foi de Katz Deli – que, convenhamos, é uma delícia mesmo, mas não é novidade certo? :o)  Então desci um quarteirão da Houston com a Ludlow e fui para a Stanton com a Orchard almoçar no The Meatball Shop. Faz jus à badalação, hora do almoço super disputada e lugar só no balcão. Menu cheio de meatballs diferentes, fui na tradicional mesmo. Mais uma saladinha crocante e uma sangria, saí de lá beeem feliz com tudo. E olha que nem comi o sanduíche de sorvete, sobremesa deles endeusada pelos gourmets de plantão. Vale a pena provar, as almôndegas são simples mas deliciosas mesmo.

O David Lebovitz foi de Momofuku Milk Bar e eu também. No East Village, a alguns quarteirões ao leste do Washington Square Park, provei uma amostra dos sorvetes com coberturas crocantes. Mas tinha também as famosas tortas e os cake pops, que estão aparecendo agora em vários lugares de Nova York. Tudo gostoso. Mas depois de almoçar no The Meatball Shop, andei mais um quarteirão e fui também de Bisous Ciao Macarons, loja minimalista só de macarons. Um arco-íris na vitrine, os macarons são grandinhos e bem recheados, coloridos e gostosos. Não deixe de provar o Salted Caramel e o Jasmine Green Tea.

E dá-lhe mais cupcakes. O David Lebovitz andou pela Sugar Sweet Sunshine e eu fui atrás dele. Andei mais um quarteirão até a Rivington, entre a Essex e a Norfolk e embora eu não seja fã de cupcakes provei um cupcake no copo – bolo, recheio e cobertura :-)

O lugar é interessante porque não é nada turístico, tinha mais de uma mãe com filhos escolhendo bolinhos e até uma homenagem ao Mr. Cake Man :-)

Meu circuito ‘cupcakerístico’ incluiu também a Eleni’s no Chelsea Market, a Billy’s Bakery na Elizabeth Street entre a Prince e a Houston e depois, descendo a Elizabeth e entrando na Prince, a Little Cupcake Bakery Shop bem na esquina. Dos três lugares, o mais fraco é a Eleni’s, onde os biscoitos é que são mais interessantes. No Billy’s comi uma torta de limão campeã, quase igual à da Magnolia Bakery (onde tem a me-lhor torta de limão e o me-lhor pudim de banana de Nova York), mas o lugar é bem acanhado. Eles têm uma filial maior perto do Chelsea Market que é mais legal que esta. Na Little Cupcake belisquei uns cupcakes com cobertura levinha, gostosinhos mesmo, e aproveite para sentar e tomar um café. Lugar muito bonitinho e bem girlie como disse a @Maricampos, que fez este post bem bacana do lugar.

Em tempo: o @riqfreire viajando na viagem também andou por ali e o @mauoscar idem. Dêem um pulo lá para continuar este passeio.

Bom, depois disso tudo, resta passar o mês a chuchu e gelo, né @aureateodoro?

Compartilhar/Favoritos

Outro dia no Twitter falamos sobre as whoopie pies, um doce de tradição Amish que vem ganhando popularidade nos EUA e no mundo. A cada dia aparecem mais receitas diferentes deste ‘sanduíche’ de dois biscoitos macios recheados originalmente com marshmallow. Seriam os whoopies a nova ‘febre’ das guloseimas depois dos cupcakes?Este fio de meada levou-me, nesta viagem a Nova York, a fugir dos cupcakes e experimentar guloseimas – e propostas – diferentes. Já tinha postado no ano passado sobre três tradições na cidade, o Lindy’s cheesecake, os cupcakes da Magnolia Bakery e o arroz doce da Rice to Riches. Nesta nova empreitada gulosa segui as dicas do blog do David Lebovitz e visitei dois lugares lá indicados: a BabyCakes e a Doughnut Factory. Duas ‘bibocas’, lugares apertados e de decoração simples, fora do circuito turístico da cidade, mas com delícias inesquecíveis. Dependendo do horário, prepare-se para enfrentar a fila.

BabyCakes

“Em uma cidade dominada pelos cupcakes transbordando de açúcar, farinha de trigo e manteiga, aqueles que estão de dieta sentem-se deixados de fora. A BabyCakes especializa-se em doces sem glúten, sem lactose, sem ovos e sem soja”. Nas palavras da Erin McKenna, criadora da BabyCakes, a ideia desta mini-doceria é justamente oferecer delícias alternativas, ou seja, doces gostosos mas feitos com ingredientes naturais e orgânicos e direcionados às pessoas que tem alergias ou restrições alimentares a glúten, lactose, caseína, ovos e açúcar refinado.

Na BabyCakes não se usa açúcar branco nem adoçantes artificiais. Os doces são feitos quase sempre com agave, néctar extraído de um cacto mexicano, com alto teor de doçura e índice glicêmico baixo, que pode ser consumido até por diabéticos. São muito usadas a farinha de espelta e as farinhas livres de glúten como a farinha de arroz e a de grão-de-bico. As gorduras utilizadas nos doces são o óleo de canola e o óleo virgem de coco.

Assim que você entra na BabyCakes, vem a pergunta: “Você tem alguma restrição alimentar?” Com base na resposta apresentam os doces disponíveis naquele dia que atendem as suas restrições. Escolhi um cookie sandwich sem glúten, sem lactose, sem ovos e sem soja, feito com açúcar mascavo e cacau, recheado com creme de morangos orgânicos. O melhor que já comi na vida!

Doughnut Plant

Vai aí um donut (ou doughnut) de chocolate Valrhona? Pois na Doughnut Plant tem. E tem de creme brulée (provei, uma delícia), de peanut butter & blackberry jelly (muito bom também) e por aí vai. Diferentes, leves, macios, fresquíssimos e deliciosos. Feitos com geléias de fabricação própria, sem gorduras trans, sem conservantes e sem sabores artificiais.

A Doughnut Plant é uma criação de Mark Israel, neto de padeiro que aproveitou a receita do avô para iniciar em Nova York uma fabriqueta de donuts. No início, Mark virava noites para produzir os donuts para lugares famosos da cidade como o Dean&Delucca e o Balducci’s, entre outros. Produzia de noite e logo cedo saía de bicicleta para entregar a produção. Logo a fama dos donuts do Mark se espalhou pela cidade, ele abriu o próprio ponto no Lower East Side e hoje tem até lojas no Japão. Este ano, inaugura um segundo ponto na cidade de Nova York no Chelsea Hotel.

Difícil escolher o que provar. Vá em grupo para poder provar diferentes sabores, vale a pena.

Estive recentemente em Nova York e em Chicago. Nova York não foi novidade, mas valeu como sempre pela incrível mistura de pessoas e coisas diferentes que a gente encontra por lá. Bati muita perna, inclusive por lugares onde ainda não tinha ido com calma, como os bairros do Chelsea e do West Village, e repeti como sempre faço um dos museus, desta vez o MoMA. Também tivemos a oportunidade de sair para jantar com um casal simpatíssimo que conheci via Twitter, a @Marcie14 e o Ciro.

Tem muito para falar sobre o que vi e comi em Nova York. Mas vou começar pela sobremesa :-) A seguir, os meus doces prediletos da viagem. Enjoy!

NEW YORK-STYLE CHEESECAKE

A lista de doces delícias começa pelo mais antigo e tradicional. Dizem que o cheesecake do Lindy’s , uma receita da família do Leo “Lindy” Lindermann, originou o NewYork-style cheesecake, provavelmente o mais famoso e mais imitado cheesecake do mundo. A receita nasceu no restaurante Lindy’s original, que abriu em NY nos anos 20, depois fechou, reabriu, e hoje pertence ao grupo Riese Restaurants. O Lindy’s fica perto da Times Square. Nunca comi o original, a versão moderna é mais controversa, principalmente pelo preço (US$ 8 a fatia!), mas posso dizer que de fato é uma de-lí-cia.

Para os entusiastas desta sobremesa, outros lugares em NY famosos por servir um excelente cheesecake: Carnegie Deli, Junior’s, The Cheesecake Factory e Magnolia Bakery (ver abaixo).

CUPCAKES

<

A Magnolia Bakery, confeitaria pequena e com cara de casa da gente no West Village (hoje ela tem mais duas filiais em Manhattan), praticamente dispensa apresentações. Cupcakes estão super na moda em NY, e os da Magnolia Bakery são as estrelas entre os bolinhos. A Carrie e a Miranda já apareceram em um episódio de Sex and The City devorando cupcakes na Magnolia Bakery e até a Suri (Katie Homes/Tom Cruise) foi fotografada em uma sequência de fotos fofas em uma revista da moda, se lambuzando e se deliciando com seu cupcake de chocolate de lá :-p

Tem época em que a fila na porta dobra o quarteirão, não é à toa que eles colocaram lá dentro um aviso limitando o número de cupcakes por pessoa!

Não peguei fila, mas no tempo em que fiquei lá olhando, tirando fotos e saboreando meu cupcake de banana e cobertura de caramelo e meu cheesecake de limão, foram embora em segundos três fornadas de cupcakes! Na Magnolia comi o MELHOR cheesecake de limão da minha vida. Este não tem nem foto, pois quando fico assim emocionada esqueço da máquina – quando lembrei já tinha comido quase todo e a foto ia sair muito feia.

Os cupcakes da Magnolia vêm assim em uma caixinha fofa com 6 buracos de papelão para encaixar os bolinhos e não deixá-los cair.

ARROZ DOCE? COMO ASSIM?

Pois é… não é que tem arroz doce em NY e é super cool? Chamado por eles de rice pudding (de fato, é mais um pudim cremoso de arroz do que arroz doce em si, já que a textura é de um creme com alguns grãos de arroz no meio), ele vem puro ou misturado em vários sabores, com coberturas também variadas à escolha, no Rice to Riches no Soho.

São quatro tamanhos (sendo que o pequeno para uma pessoa já é uma porção enorme, como quase todas nos EUA) e no site eles prometem entregar em qualquer lugar dos Estados Unidos de um dia para o outro!

O que eu provei, de French Toast com uma cobertura de pedacinhos de bolo, era uma delícia. Para os adoradores de arroz doce, como eu, um prato cheio :-) Levei um “para viagem” para o Mike e ele amou, devorou em alguns segundos.