Viewing entries in the category Rio de Janeiro

Passamos um final de semana prolongado no Rio de Janeiro por conta do  Seminário Viajosfera, que reuniu blogueiros e simpatizantes do segmento de blogs de viagem e correlatos.

Em princípio minha ideia era falar sobre as delícias do Leblon e os melhores lugares para tomar um sorvete, comer um doce ou um chocolate. Mas   as incursões iniciais na Kurt Confeitaria e na Pavelka não me empolgaram. Na Kurt achei as tortas bastante doces e o que mais me agradou foi mesmo o financier que vem com o cafezinho. Tão bom que levei uma caixa deles comigo.  Na Pavelka não consegui sequer terminar o tão recomendado mil folhas, super maçudo, com um creme pesado e que lembrava muita manteiga e nada de baunilha. Tomei um sorvete apenas bom na Mil Frutas e não tive tempo de provar os chocolates da Cacau Noir indicados pela Constance nem de visitar e me esbaldar nos chocolates da Beth.

Ou seja, o post das delícias doces do Leblon virou um post de almoço, jantar e botecagem. Todos muito bem sucedidos.

Almoço no RS

Almoçar na sexta-feira no RS é uma boa pedida para quem tem vontade de provar as delícias da Roberta Sudbrack e não tem tempo e nem bolso para aproveitar os menus de degustação do jantar. Às sextas, único dia da semana em que o restaurante abre para o almoço, a Roberta serve um menu executivo super caprichado e sempre composto de pãozinho com manteiga, uma entradinha, uma salada, um prato e uma sobremesa. Há sempre duas opções de cada.

Tive a sorte de sentar-me ao lado de uma amiga que divide pratos :-D e pude provar ambas as opções de cada prato. Assim, experimentei o famoso tartare de abóbora, composto de pedacinhos de abóbora curtida em um tempero com ar oriental e o toque super crocante das sementes de abóbora, uma delícia mesmo.  Também gostei muito da salada de abóbora assada, com pedaços de abóbora macios por dentro e crocantes por fora, também realçada pelas sementes assadas, maravilhosa. Deliciosa overdose de abóbora :-D

No prato principal fiquei com o clássico picadinho do Palácio da Alvorada (filé na ponta da faca, farofa de cenoura, banana à milanesa, ovo caipira poché e arroz). Ambas as sobremesas estavam muito gostosas, o sorvete de figo de Valinhos e o mil folhas, com uma massa etérea e um creme pontilhado de sementes de baunilha, diria que dos melhores que já comi na vida.  O vinho da casa em taça é bom e acompanha bem o almoço. Para quem pedir o café, uma colher do reverenciado brigadeiro para fechar com chave de ouro a refeição. Sim, uso e abuso dos clichês para falar de comida. É a emoção :-)

Leia mais sobre a Roberta Sudbrack no Pra Quem Quiser me Visitar da Constance, no Gastrolândia da Ailin Aleixo e no DCPV do Edu Luz.

Jantar no Bazzar

Jantamos muito bem no Bazzar, lugar gostoso, moderninho mas tranquilo, com serviço atencioso e gentil. No Bazzar (que apenas rivaliza com o Chef Vivi neste quesito) comi os melhores pãezinhos de couvert dos últimos tempos.  Não dá para perder o pão de limão e o pão de passas e mel, que vêm quentinhos estalando do forno para a mesa, acompanhados de manteiga e de dois azeites temperados na casa. Escolhemos dois tapas para começar, os bolinhos de carne seca e abóbora com molho barbecue e as lascas de bacalhau acompanhadas de molho de coentro, molho de azeitona preta e um outro molho semelhante a uma mostarda de Cremona. Os bolinhos estavam deliciosos, perfeitos. O cordeiro de prato principal estava gostoso e só a sobremesa não me encantou. Há boas opções na carta de vinhos, bem completa.

Botecagem no Aconchego Carioca

Fazia muito tempo que eu queria ir ao Aconchego Carioca. Já tinha visto inúmeras fotos daqueles bolinhos e sonhava com eles :-) Pois fomos e com coragem esperamos nossa mesa por quase uma hora e meia, já que era pleno domingo na hora do almoço. O almoço virou happy hour e botecagem, mas foi inesquecível. Lugar super gostoso, decoração rústica mas caprichada, um jardim bonitinho, redes penduradas no teto, tudo simples e aconchegante, como diz o nome. Como estávamos em 8 pessoas, deu para provar um  pouco de tudo e valeu a pena. Meus preferidos foram os bolinhos de feijoada recheados com couve e bacon, os bolinhos de abóbora com carne seca e o jiló com queijo de cabra. Mas também gostei bastante dos bolinhos de feijão branco com rabada, os de aipim com bobó de camarão e as almofadinhas de tapioca. Tudo acompanhado de boas caipirinhas.

Depois dividimos um bobó de camarão e um escondidinho de camarão, dos quais estava melhor o bobó. Mas se quiser ficar apenas nos aperitivos e nas sobremesas, vale muito. Pedimos o  pudim de tapioca com cachaça, que estava divino, e os famosos palitos de queijo coalho com goiabada Zélia, muito bons também. Foi tão bom que ficamos com gostinho de quero mais!

Leia mais sobre o Aconchego Carioca no Viaje na Viagem do Riq Freire e no Pra Quem Quiser me Visitar da Constance. 

Agora, é partir para a dieta :-)

 

Compartilhar/Favoritos

O Rio de Janeiro é um destino muito bacana para levar os filhos. Junta programas turísticos ‘lúdicos’ e passeios que envolvem contato com a Natureza, esportes e brincadeiras. Uma combinação divertida e perfeita.

Duas dicas podem tornar uma viagem para o RJ com crianças mais legal e tranquila. A primeira é evitar as excursões turísticas vendidas nos hotéis e flats e organizar-se para fazer os passeios de táxi mesmo, respeitando os horários e o cansaço dos seus filhos. As excursões, além de pesarem no bolso para a família toda, são demoradas e burocráticas. Imaginem as crianças cheias de energia para chegar no Bondinho e o ônibus ou van da excursão parar em mais três ou quatro hotéis pelo caminho…

A segunda dica, uma vez que você vai fugir da ‘máfia’ das excursões, é chegar cedo. Isto porque quem não faz parte de uma excursão precisa entrar nas filas, e elas normalmente são imensas.

Há hotéis para todos os gostos e bolsos no Rio de Janeiro. Mas uma vez que você opte por este esquema de fazer os passeios por sua conta, o ideal é ficar em um hotel ou flat entre Copacabana e Leblon. Leblon e Ipanema ainda têm a vantagem adicional de serem bairros onde se pode caminhar com certa tranquilidade, inclusive à noite. No Leblon, em especial, encontram-se muitos dos restaurantes e bares mais legais do Rio. Dá para sair para jantar a pé e ainda tomar um sorvete com as crianças antes de voltar ao hotel para dormir. E dá para dar uma voltinha no shopping, entrar em uma boa livraria, tomar um café…

Bondinho/Pão de Açúcar

Um dos dois (o outro é o Cristo Redentor, claro) principais programas turísticos do Rio de Janeiro. De fato imperdível. O passeio de bondinho é emocionante, as vistas de cima do morro da Urca e do Pão de Açúcar são lindas e a criançada ainda se diverte com os bondinhos antigos e com as lojinhas de badulaques. Não deixe de mostrar a eles os aviões pousando e levantando vôo no aeroporto Santos Dumont, em frente. A bilheteria abre às 8h e o primeiro bondinho entre a Praia Vermelha e a Urca sai às 8h10. Chegando até às 9h você não enfrenta grandes filas. A partir daí, as filas começam a apertar. O bilhete adulto custa R$ 44,00, crianças entre 6 e 12 anos pagam R$ 22,00 e crianças até 6 anos não pagam. O pagamento deve ser feito em dinheiro ou cartão de crédito/débito. Mais informações no site oficial do Bondinho do Pão de Açúcar ou pelo tel (21) 2461-2700. Abre diariamente.

Cristo Redentor/Corcovado

Há duas maneiras de visitar o Cristo Redentor: de táxi + van ou de trem. O trem, que sai do Cosme Velho, é um bonde que sobe o morro do Corcovado em trilhos no meio da mata tropical. Lá em cima, basta subir as escadas ou mesmo pegar o elevador para chegar ao Cristo. É muito mais divertido e sai mais barato, já que quem sobe de táxi é obrigado a fazer o último trecho numa van que ainda vai custar R$ 20 por pessoa. Mas o grande inconveniente do trem é que as filas são gigantescas. Em finais de semana e feriados, às 9h as filas já têm duração de duas horas. Assim, o ideal é chegar até às 8h30. Quem chega às 8h e pega o primeiro bondinho, das 8h30, encontra um Cristo Redentor com pouca gente, muito mais legal para olhar a vista e tirar fotos. Mas se você não gosta de acordar tão cedo, tem uma alternativa: comprar os bilhetes do Trem do Corcovado online aqui. Mas atenção: os bilhetes online só são vendidos para um único horário do dia, às 18h30. Os bilhetes para ida e volta no Trem do Corcovado custam R$ 36,00 por pessoa. Crianças até 5 anos no colo não pagam. Mais informações no site oficial do Trem do Corcovado ou pelo tel (21) 2558-1329. Abre diariamente.

Parque Lage

O Parque hospeda a Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Antigo engenho de açúcar do Brasil Colonial, pertencia a Antonio Salema, governador do Rio de Janeiro, que em 1660 vendeu a propriedade à família Rodrigo de Freitas Mello. No século XIX um nobre inglês comprou parte das terras e contratou um paisagista inglês para projetar um jardim nos moldes europeus. A chácara passou por outras mãos e em 1920 foi comprada pelo empresário Henrique Lage, que mandou construir nela uma réplica de um palazzo romano, além de reformular parte do projeto paisagístico. Enfim, o Parque Lage é legal para a criançada porque abriga, além do jardim que faz parte da Floresta da Tijuca, ruínas do antigo engenho de açúcar ali existente, inclusive com a interessante ‘lavanderia dos escravos'; uma gruta artificial e um aquário incrustados nas pedras, além de trilhas e um parquinho infantil. De lambuja, é possível pegar algumas das performances dos alunos da Escola de Artes Visuais. O parque abre diariamente das 9h às 17h e a visita é gratuita. Mais informações no site da Escola de Artes Visuais do Parque Lage ou pelo tel (21) 3257-1819.

 

Jardim Botânico

O Jardim Botânico é um passeio muito legal. São trilhas passando por diferentes árvores e ecossistemas, como o da floresta amazônica e o da restinga. O único senão, principalmente com crianças pequenas, é que o parque é grande e é preciso andar um bocado para ver tudo. Assim, escolha as atrações mais interessantes e procure se informar bem, pois infelizmente o parque não distribui um mapa e não sugere trilhas aos visitantes. Não perca o bromeliário, o orquidário, a estufa de plantas insetívoras (ou carnívoras) e o Jardim dos Sentidos, feito para deficientes visuais. No Sítio Arqueológico Casa dos Pilões há escavações arqueológicas e objetos encontrados nelas. Atrás do portal das ruínas da antiga fábrica de pólvora há uma representativa coleção de plantas medicinais que são utilizadas de forma terapêutica no Brasil. Se sobrar tempo e disposição, visite o jardim japonês, o roseiral e o lago das vitórias-régias. Aberto diariamente, o horário de visitação é das 8h às 17h. O ingresso custa R$ 5,00 por pessoa. Crianças até 7 anos não pagam. Mais informações no site do Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro ou pelo tel (21) 3874-1808.

Forte de Copacabana

As crianças, principalmente os meninos, adoram o Forte de Copacabana e o Museu Histórico do Exército. Na parte externa do Forte, há diversos canhões nos quais as crianças podem subir, mexer e tirar fotos. A vista da praia de Copacabana é bonita e dá para apreciá-la das mesas do terraço na frente da Confeitaria Colombo. Dá para tomar café da manhã ou almoçar por lá, numa boa. No museu, dentro do forte, há uma exposição do levante do Forte de Copacabana e é possível ver como funcionava um forte por dentro com suas salas de máquinas, dormitórios, enfermaria, salas de armamentos, almoxarifado, etc. Atenção: uma das poucas atrações no Rio de Janeiro que não abre diariamente. Funciona de terça a domingo e aos feriados das 10 às 18h. Crianças entram de graça e adultos pagam R$ 4,00. Só aceita pagamento em dinheiro. Mais informações no site do Forte de Copacabana ou pelo tel (21) 2287-3781.

Submarino-Museu Riachuelo

Construído em 1973 na Inglaterra, o Submarino Riachuelo foi incorporado à Armada brasileira em 1977, participou da batalha naval de junho de 1865 entre a esquadra paraguaia e a esquadra brasileira sob o comando do Almirante Barroso e foi aposentado após 20 anos de operação. Assim como no Forte, é possível visitar seus compartimentos e conhecer parte do armamento, máquinas e equipamentos diversos. A ambientação com manequins que retratam o dia-a-dia de um submarino dá uma real noção de como era a vida da tripulação na época. Aos sábados e domingos, às 14h30 e 16h, há espetáculos teatrais para o público infantil que lembram, de forma divertida, fatos e personalidades marcantes da história marítima brasileira. Após a sessão, as crianças participam com os atores de uma oficina de arte, na qual realizam atividades sobre temas relacionados à Marinha. Atenção: também não abre às segundas-feiras, funcionando de terça a domingo das 12h às 17h. A entrada é franca. Mais informações no site do Submarino-Museu Riachuelo ou pelo tel (21) 2233-9165.

Estádio do Maracanã

Programa imperdível para os meninos. Uma pena que, como o estádio está em obras para a Copa do Mundo no Rio de Janeiro em 2014, parte do Maracanã está fechada para visitação. Ainda assim, é possível a criançada se divertir. Logo na entrada há a calçada da fama, onde estão eternizados 100 pares dos pés dos maiores craques do futebol mundial como o Rei Pelé, Zico, Garrincha, Rivelino e Ronaldo Fenômeno. Há painéis ilustrativos da história da construção, dos principais jogos e dos shows de música que aconteceram no estádio. Em seguida, um elevador leva o visitante ao 6º andar, onde se tem uma vista panorâmica do estádio, incluindo a parte interna da tribuna de honra. Ao final, um museu com uniformes, bolas e mais painéis fotográficos. A parte da visitação que foi desativada até 2014 inclui o acesso aos vestiários utilizados pelos jogadores e à sala de aquecimento, com gramado sintético e baliza; e a entrada no próprio campo, onde o carioca Márcio Pereira da Silva, vestido com o uniforme da seleção brasileira, faz malabarismos com bolas de diversos tipos e tamanhos. Aberto à visitação diariamente, das 9h às 17h, inclusive feriados. Nos dias de jogos, no entanto, a visitação é encerrada cinco horas antes doinício da partida. A entrada inteira custa R$ 20,00, mas como o estádio está em reformas e uma parte do programa de visitação não é feito, o preço atual foi baixado para R$ 10,00. Visitação completa no Maracanã agora só depois da Copa do Mundo de mesmo. Mais informações no site da Suderj ou pelo tel (21) 2334-1627.

Passeio na Lagoa Rodrigo de Freitas

Passeio super gostoso para relaxar e quebrar um pouco a programação turística na cidade. Para quem tem disposição, ideal para fechar um fim de tarde. A ciclovia, que dá a volta na Lagoa, tem 7,5 km e é possível alugar bicicletas para adultos e crianças pedalarem juntos, num percurso que leva de 30 a 40 minutos. Em volta da Lagoa há quadras esportivas, parquinhos infantis e quiosques para um lanche e ou uma água de coco. Também dá para andar de pedalinho na Lagoa. A vista é linda. O único senão é evitar os horários de pico, principalmente o período entre 9h30 e 12h30 nos finais de semana. Mas, mesmo nestes horários, a diversão é garantida.