Viewing entries in the category doces em potinhos

foto 2

Já tinha publicado esta receita de quindim no meu blog antigo. Mas ele volta aqui, a pedidos.

Esta receita de quindim é daquelas que têm história. Na época da faculdade eu ia muito à casa de uma grande amiga, a Carol. E a casa dela tinha um atrativo incrível para quem gosta de comer e cozinhar: a Eva, cozinheira de mão cheia, que estava lá há anos e fazia os pratos mais maravilhosos do mundo.

Em várias conversas ao pé do fogão, vi a Eva fazer este quindim. E comi-o muitas vezes. Anos depois me lembrei das aulas informais da Eva e me aventurei a preparar o quindim em casa. Ficou tão bom quanto o da mestra :-)  Para mim, a receita perfeita. Simples, deliciosa e que dá certo.

Com vocês, o quindim da Eva, que passou a ser meu também. Em versão #vaiterCopa para ficar ainda mais bonito.

Quindim da Eva

1 coco fresco
1/2 colher (sopa) de amido de milho
400 g de açúcar
2 ovos inteiros
10 gemas
1 colher (sopa) de manteiga com sal derretida
mais manteiga e açúcar para untar a forma

Preaquecer o forno a 230ºC e colocar dentro dele uma assadeira com água. Untar e cobrir com açúcar uma forma de pudim.  Ralar o coco, misturar nele o amido de milho e reservar.  Em uma vasilha colocar o açúcar e misturar com os ovos. Acrescentar a manteiga derretida e misturar. Peneirar as gemas e acrescentar à mistura de ovos. Por fim, juntar o coco ralado. Colocar a massa na forma e cobrir com papel alumínio. Levar ao forno preaquecido em banho-maria por 15 minutos, tirar o papel alumínio e deixar assar por mais uma hora. Cuidado para o coco não queimar, se for necessário cubra novamente com o alumínio até assar e ficar firme.

 

foto 1

Compartilhar/Favoritos

Quem não se lembra daquela cena do filme Uma Linda Mulher em que o Richard Gere oferece a Julia Roberts morangos frescos com champanhe?

Apesar da fama de combinação afrodisíaca, quem entende de vinhos diz que esta dupla não vai muito bem junta, já que ambos fruto e bebida são ácidos e assim os sabores não se harmonizariam.

Em harmonia ou não, a gelatina de morangos com champanhe ficou linda e super saborosa. Uma ideia criativa e fácil até para quem não domina as artes da culinária, mas quer fazer figura no Dia dos Namorados. Tenta e depois me conta :-)

Gelatina de champanhe com morangos

1 litro de champanhe (usei um champanhe demi-sec)
2 col (sopa) de gelatina em pó incolor sem sabor
250 g de açúcar
2 caixas de morangos

Lave bem os morangos, corte os cabinhos e reserve-os. Coloque meio litro de champanhe em uma vasilha e polvilhe por cima a gelatina para umedecê-la. Não precisa mexer. Reserve. Leve ao fogo o restante do champanhe com o açúcar e mexa em fogo baixo até o açúcar dissolver completamente. Tire do fogo, junte à mistura de gelatina com champanhe e mexa até dissolver. Coloque a champanhe nos potinhos e acrescente os morangos. Vale o que você quiser: potinhos para desenformar, taças de champagne, taças de sobremesa, morangos inteiros (fica mais bonito!) ou picados, o que a sua imaginação mandar.

OBS. Esta receita foi publicada originalmente no blog Rosmarino e Prezzemolo.

Sonhei com crêpes Suzette, aquelas crepes flambadas com uma calda de açúcar, manteiga, suco e raspas de laranja e licor Grand Marnier. Estava de volta ao Tatini da minha infância, onde adorávamos ver nossos pratos sendo finalizados à mesa. Preciso voltar lá para provar de novo aquele penne allarrabbiata.  Será que ainda fazem do mesmo jeito? Faz anos que não vou lá. São lembranças gastronômicas de infância, como boa filha de um pai que adorava comer fora e sempre foi bom gourmet.

Pois fiquei com as crêpes Suzette na cabeça e pensei em fazê-las para sobremesa de um jantar em casa. Mas fiquei com preguiça de ter que flambá-las na hora. Não tenho paciência e nem jeito para shows de pirotecnia num jantar informal em casa, sem ajuda doméstica. Queria simplificar ao máximo, para poder curtir os amigos com minha taça de vinho sem ter que ir toda hora à cozinha.

Assim, comecei a pensar em fazer outra sobremesa bacana que pudesse lembrar de alguma forma as crepes sonhadas. Pensei num creme brulée de laranja e fui consultar minha bíblia de cremes brulées, o livro Elegantly Easy Creme Brulée da Debbie Puente. Folheando-o, achei a receita de creme brulée com raspas de laranja e licor Grand Marnier. E claro que foi esta a escolhida :-) Com mini-show de pirotecnia e tudo rsrs…

A base é a receita clássica do creme brulée, que sempre dá muito certo. Acrescida a ela, doses de Grand Marnier e um perfume de raspas de laranja. Ficou uma delícia.

Achei em princípio que a quantidade de Grand Marnier deixaria um gosto muito forte. Mas esta quantidade é absolutamente perfeita. Use a ‘colher-medida’ de sopa. É importante não pular a parte que recomenda que a massa descanse uns 15 minutos antes de ir ao forno, para que as raspas de laranja possam ‘temperar’ bem o doce. Outra parte importante é deixar os potinhos esfriando dentro da assadeira mesmo. Esfriando devagar, o creme não ‘racha’ na superfície. A receita rendeu 6 ramequins de tamanho médio.

Creme brulée aromatizado com laranja e Grand Marnier

8 gemas de ovos
1/3 xícara (chá) de açúcar cristal
2 xícaras (chá) de creme de leite fresco
1 colher (chá) de extrato de baunilha
3 colheres (sopa) de licor Grand Marnier
raspas da casca de 1 laranja
açúcar cristal para caramelizar (cerca de 1 colher (chá) para cada potinho)

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Em uma vasilha, misture bem as gemas com o açúcar, até a mistura engrossar e ficar amarelo-clara. Eu bato na mão mesmo, com o fouet. Adicione o creme de leite fresco, a baunilha, o licor e as raspas de laranja. Misture bem e deixe descansar por 15 minutos. Enquanto isto, prepare os potinhos colocando-os numa assadeira grande com um pouco de água, para assá-los em banho-maria. Tire o excesso de espuma da superfície da massa e coloque-a nos potinhos. Leve a assadeira ao forno por cerca de 40 minutos. Retire e deixa esfriar na própria assadeira. Espere esfriar pelo menos uma hora antes de colocar o açúcar por cima do creme e caramelizar os potinhos com o maçarico. Acabei indo para cozinhar de qualquer jeito, pois quis caramelizar o creme na hora de servir mesmo, pois fica mais gostoso assim :-)

Há meses minha amiga Carmo me emprestou um livro muito bacana de receitas de crème brulée: Elegantly Easy Crème Brulée & Other Custurd Desserts, da Debbie Puente. Tem receitas incríveis, técnicas, dicas; é bem legal. Recomendo para quem gosta muito desta sobremesa, como eu. Depois de curtir o livro emprestado, tratei de arrumar um só meu, entregue pela Santa Amazon ;-)

Foi dele que tirei a receita para inaugurar o maçarico novo, depois de uns percalços para carregá-lo com o gás da forma correta, ajudada no Twitter pelo @cozinhapequena e pelo @rhigam. Até hoje só tinha feito crème brulée com o equipamento ‘vintage’ da minha mãe, uma chapa redonda de metal que é aquecida e pressionada sobre aqueles potes redondos, mais rasos e largos. Mas achei o maçarico portátil bem fácil de usar.

A @dadivosa, o @BergamoM e a @LenaGasparetto me deram a ideia de colocar o crème brulée nestas miniabóboras que estão pelos supermercados por aí. Ficou lindo! Dá tranquilamente para levar as abóboras cruas ao forno, pois o crème brulée é assado em temperatura muito baixa e as miniabóboras continuam firmes depois de assadas.

Crème brulée de abóbora com especiarias
(ligeiramente adaptada daqui)

 

1 xíc (chá) de abóbora cabocha cozida e amassada (bem apertada na xícara)
2 xíc (chá) de creme de leite fresco
1/3 xíc (chá) de açúcar
8 gemas
2 col (café) de essência de baunilha
1/2 a 1 col (chá) rasa de especiarias (gosto mais forte, coloquei uma colher e usei canela, gengibre em pó e pimenta-da-jamaica em partes iguais e meia parte de noz moscada)
açúcar para caramelizar

Pré-aqueça o forno a 150º C. Em uma vasilha grande, coloque todos os ingredientes menos o açúcar para caramelizar. Misture bem com um batedor. Coloque a mistura nos potinhos e leve ao forno em banho-maria por 30 minutos. O certo é o creme assar, mas não dourar. Espere esfriar por duas horas ou até dois dias antes de caramelizar. Polvilhe cerca de uma col (chá) de açucar sobre cada potinho e caramelize com o maçarico.

Obs. O creme nas miniabóboras ficou com a textura mais líquida do que o creme nos potinhos de cerâmica, assados na mesma temperatura e no mesmo tempo. Assim, se você optar por fazer o creme nas miniabóboras, o ideal seria tampá-las com a ‘tampinha’ da abóbora mesmo e deixar mais uns 15 a 20 minutos no forno.

Mesmo não sendo super fã de chocolate e de doces feitos com ele, sou voto vencidíssimo em casa. Pelo que esta receita do livro Cozinhando para amigos da Heloísa Bacellar fez o esperado sucesso, servida como sobremesa de um churrasco. Nestes potinhos o creme de chocolate é cozido e não assado como nos famosos chocohotpots da Nigella. A textura fica mais cremosa. E a mistura dos dois chocolates dá um gostinho especial.

Já fiz esta sobremesa para uma festa de finger foods, servindo o creme em xícaras de café, meio a meio. Mas para o churrasco fiz em potinhos um pouco maiores e com desenhos mais improvisados. Como diz a Heloísa, estes potinhos “são gostosos e lindos e permitem desenhos variados com o chocolate branco e o escuro”. Ficam lindos de qualquer jeito.

Outra coisa legal desta receita é que, como o creme é cozido e os potinhos não são levados ao forno, você pode usar potinhos de vidro, plásticos ou até descartáveis. Receita prática :-)


Dá para fazer meia receita se você não quiser muitos potinhos, pois esta receita é para festa mesmo, rende bastante! Se não tiver a fava de baunilha, substitua por uma col (chá) de essência de baunilha.

Potinhos cremosos de dois chocolates

600 g de chocolate meio-amargo em cubinhos
400 g de chocolate branco em cubinhos
24 gemas
2 col (sopa) de mel
1 fava de baunilha
2 litros de creme de leite fresco

Separe 24 potinhos, taças ou xícaras não muito grandes de chá ou mesmo de café. Coloque cada um dos chocolates numa tigela grande e em outra coloque as gemas passadas por uma peneira fina e o mel. (Não pule a etapa de passar as gemas pela peneira, é o que impede o doce de ficar com aquele ‘gosto de ovo’) Corte a fava ao meio no sentido do comprimento, raspe as sementinhas, coloque a fava e as sementes numa panela com o creme de leite e aqueça. Quando ferver, despeje uma pequena parte sobre a gema, misture, volte para a panela e leve ao fogo, sem parar de mexer, até surgirem bolhinhas nas laterais, sumir a espuma da superfície, o creme encorpar e cobrir o dorso da colher, mas sem ferver. Despeje metade do creme sobre o chocolate branco e metade sobre o escuro, mexa até derreter e aguarde 5 minutos para esfriar um pouco. Calcule ¼ de xícara de cada creme por potinho e preencha como quiser: alterne camadas de branco e escuro para fazer listas, despeje os cremes lado a lado ao mesmo tempo ou coloque um creme por baixo e por cima espalhe bolotas do outro. Cubra os potinhos com filme plástico e leve à geladeira por pelo menos duas horas ou por até dois dias).