Um risoto com um quê de japonês
Postado por Luciana em 11 março 2011

Este foi o ME-LHOR risoto que eu já fiz. Inclusive na opinião do marido, que achou meu prato ‘digno de restaurante’ rsrsrs… Acabou tão rápido e todo mundo comeu tanto que fiquei me achando.

A ideia de fazê-lo surgiu na semana passada, quando veio nirá sem querer na sacola de verduras orgânicas. E para descobrir o que era aquilo? Uma rápida pesquisa no Google decifrou o enigma e com a ajuda dos universitários, vulgo Twitter, cheguei, entre outras sugestões, esta receita de risoto de nirá e shitake da chef Morena Leite que foi preparada pela Iliane. Na minha versão coloquei menos manteiga, mais shoyo e mais nirá, e acrescentei o gergelim preto para dar uma ‘crocância’. Também usei caldo de carne ao invés de caldo de frango, pois acho que os cogumelos são melhor realçados pelo sabor da carne. Ficou uma coisa de bom. Se eu fosse você, experimentaria urgente.

Risoto de shitake, nirá e gergelim preto

1 cebola bem picada
3 col (sopa) cheias de manteiga sem sal (aproximadamente 75g)
200g de arroz arborio
50 ml de saquê
750 ml de caldo de carne caseiro fervente
200 g de shitake cortado em tiras
4 col (sopa) de nirá picado
1 col (sopa) de gergelim preto
2 col (sopa) de molho de soja (shoyo)
sal

Em uma frigideira funda, coloque uma colher de sopa de manteiga e salteie o shitake. Tampe e deixe em fogo baixo por alguns minutos para amolecer. Desligue o fogo e junte o nirá, uma colher de sopa de molho shoyo e o gergelim preto. Reserve. Numa panela funda, coloque uma colher de sopa cheia de manteiga e refogue a cebola picada até amolecer. Coloque o arroz arborio e envolva-o no refogado. Mexa por um minuto e coloque o saquê. Deixe evaporar, sempre mexendo. Vá juntando o caldo, aos poucos, cozinhando e sempre mexendo o arroz, no fogo baixo. Quando estiver quase pronto – deve levar entre 15 e 20 minutos – junte o refogado de shitake ao arroz, misture e mexa por uns dois minutos. Desligue o fogo e junte mais uma colher de sopa de shoyo e uma colher de sopa de manteiga. Acerte o sal: eu coloquei mais meia colher de chá de sal, mas o meu caldo caseiro não era salgado.

Share
9 Comentários
  1. Amo nirá! E super combina com shiitake, shimeji e a cogumelada toda. É meio difícil de encontrar por aqui, mas gosto de fazer um tipo de canja com nirá, cogumelhos, shoyu e cevadinha que também fica uma delícia!
    bj

  2. Adorei o aspecto escuro, infelizmente nunca vi nirá por aqui, nem saquê 🙂

  3. Tá com uma cara ótima mesmo, Lu – e olha eu querendo comer risoto às 8 e meia da manhã… 🙂

  4. hummm..amei a sua versão..ficou lindo ..lindo..bjus…li

  5. Oi Luciana.
    Adorei o seu blog!
    As receitas são de dar água na boca, e essa então tá maravilhosa!!! Com certeza farei um dia desses…
    Já estou te seguindo!
    Bjs,
    Deborah.
    http://temperinhos.blogspot.com/

  6. Lu, seria um lisotto?? 🙂
    Abs

  7. Lu, nunca tinha ouvido falar de Nirá! Que ideia genial coloca-lo num risoto desses. Vou testar urgentemente, adorei! 😉

  8. Adorei!! Coloquei saque para cozinha e não o tradicional, e ao invés do arroz arborio, utilizei arroz japonês, ficou uma delícia! Parabéns!

Deixe um comentário

Deixe um comentário