Na opinião da família, inclusive dos adolescentes gourmets :-P, o Mercado Central foi o melhor passeio em Belo Horizonte. Seguimos a dica da @atiepolo e ficamos em um hotel pertinho do Mercado, pelo que pudemos aproveita-lo bastante.

Pulamos o café do hotel e fomos todos os dias tomar o café da manhã dos campeões no Mercado, sempre firmes no tour-degustação-do-pão-de-queijo-e-do-bolo-de-fubá-com-cafezinho :-P Almoçamos um dia no Casa Cheia, sobre o qual já falei neste post. Fartei-me nas banquinhas de utilidades domésticas, aquelas banquinhas ‘de feira’ que vendem de tudo um pouco do que a gente precisa. Também aproveitamos o segundo andar do Mercado onde ficam as banquinhas de artesanato e os famigerados souvenirs.  E fizemos ótimas compras de comidinhas no Mercado. Foi o medo do excesso de bagagem no voo da volta que nos segurou um pouco. Da próxima vez vamos de carro, com o porta-malas cheio de isopores, certeza ;-)

A seguir, um apanhado das dicas do Rosmarino e da Ane Tiepolo para vocês.

Tomamos café da manhã no Dona Diva e gostamos bastante.  Mas nada superou o Comercial Sabiá, com seu pão de queijo fresquíssimo e puxa-puxa, seu bolo de fubá com queijo macio e saboroso e seu bolo de tangerina leve e perfumado. O café, um blend de dois tipos que eles mesmo comercializam, foi o mais gostoso da viagem. Não dá para perder. E vale a pena levar estes cafés para casa.

Almoçamos no Casa Cheia, sobre o qual já contei aqui. Imperdível. Se a casa estiver realmente muito cheia (perdão pelo trocadilho), ao menos petisque no Bar da Lora, corredor apertado e cheio mas que oferece uma cerveja geladíssima e pratos como o Não Acredito, composto de carne de sol, linguiça defumada, mandioca e requeijão, servidos com molho de seriguela, melaço de rapadura e farinha de pequi. Para quem gosta, a porção de fígado acebolado com jiló é um clássico do Mercado. A Ane foi e aprovou.

Difícil dizer onde estão as melhores lojas de doces e de farinhas, pois são várias espalhadas pelo Mercado. Vale a pena trazer fubá, farinha de milho e farinha de mandioca, da melhor qualidade. Nós trouxemos queijo da canastra e mistura de farinhas já pronta para fazer pão de queijo. E goiabada Zélia e doce de leite Viçosa. Trouxe também outros doces como de figo, de abóbora e de coco, tudo produção artesanal mesmo. O Ponto das Bebidas e a Cachaçaria Barroca têm boas marcas de cachaças, como a Anísio Santiago e a Canarinha, entre outras boas. Dica da Ane também.

A Ane encontrou as melhores panelas de ferro na Crisbele. Vários modelos e tamanhos e as melhores grelhas. Há uma oferta grande de panos de prato, produtos de palha e de couro, principalmente no segundo andar do Mercado. Meus filhos se deliciaram com uma loja bem na frente do Casa Cheia, onde vendiam-se chapéus de cowboy e cintos com medalhão. Até com um berrante nos voltamos para casa :-D

Vai um cafezinho com pão de queijo aí? :-P

foto Alexandre Costa

Fomos proibidos de fotografar dentro do Mercado Central de Belo Horizonte. Acredito que é uma regra recente, já que outros blogs têm muitas fotos do local, feitas de forma legítima. Porém, o Alexandre Costa,  que gentilmente cedeu a imagem acima do café com pão de queijo, tem este post muito bacana do Mercado Central de BH, onde dá as suas dicas de local e posta fotos belíssimas do lugar. Não percam!

Compartilhar/Favoritos
10 Comentários
  1. Sou suspeita pra falar, mas adoro o mercado central de BH. Além do doce de leite Viçosa (melhor do mundo), costumo recomendar também a gelatina de cachaça. Uma delícia!
    Estranho essa proibição de fotos. Que eu saiba a única área proibida era a dos animais.
    Abraços,
    Lillian.

    • Lilian, nós começamos justamente pela área dos animais!! Você matou a charada, foi por isto que achamos que era proibido fotografar no Mercado :-/ Mancada minha :-P Eu AMO gelatina de cachaça… uma pena que não vi por lá. Beijos!

  2. Imperdível! Morro de saudades, é o que mais sinto falta de BH. Outro dia, me peguei trazendo dobradinha (bucho) na bagagem de mão na volta pro ES. Sabe como é, não achei por aqui açougue como o Rei da Carne.. e outras coisas mil, queijo, doces, embutidos, tudo do melhor!!!

  3. Muito bacana o post. Ainda não conheço o Mercado Central, mas agora fiquei curioso para conhecer e provar os lanches (adoro cozinha mineira).

    Quanto à proibição de fotografar no Mercado Central, por me causar estranheza a proibição de fotografias em um local público (um grande absurdo), pesquisei no Google e parece que o motivo não é nada, mas NEM UM pouco, nobre. Veja isto:

    http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2012/04/15/interna_gerais,288928/universitario-e-agredido-ao-fotografar-venda-de-animais-no-mercado-central.shtml

    Acredito que veio daí a tal “regra” nova.
    Se for isso mesmo, me recuso a visitar o local e deixar meu dinheiro lá. Proibir fotografias para evitar flagrantes de crimes/maus-tratos é contra qualquer bom senso e inclusive cabe visita constante de autoridades a fim de fiscalizarem.

    Abraços,

    • Rafael, é isto mesmo!! Como a gente começou a visita pela parte dos bichos, fomos proibidos de fotografar e achamos que isto valia para todo o Mercado. Uma pena que o post ficou sem fotos bacanas. Realmente uma mancada esta proibição… motivo nada nobre. Mas vale uma ida lá, até pra você checar in loco como estão os animais. Abraços,

  4. acabei de seguir suas dicas! ;)
    show

  5. Lu, acabei de postar sobre um fds que passei em BH e coloquei lá o link para o seu post sobre o mercado! http://taindopraonde.blogspot.com.br/2013/10/um-final-de-semana-em-belo-horizonte.html

Deixe um comentário

Deixe um comentário