Sim, eu sei que ir a San Telmo  domingo de manhã em Buenos Aires ganha estrelinha dourada de ‘programa turisboca’, além de uns três ou quatro cocares na classificação ‘programa de índio’. Mas a verdade é que eu adoro este rolê :-)

Primeiro por conta da Feria de San Telmo propriamente dita, que é um mix de feirinha do Bixiga e da Benedito Calixto deles.  Com barracas de antiguidades e também de bugigangas, montadas em um espaço ao ar livre, a feira é uma delícia para quem gosta de olhar e garimpar objetos antigos/retrô/vintage.  E é por aqui que começo meu passeio.

Um domingo em San Telmo

Chego na esquina da Defensa com a Humberto I por volta das 10h e  a  já está fervilhando de gente. Depois de perambular por algumas barracas da Feria de San Telmo, escolho mais um item para a minha coleção de xícaras de café. Não tem lugar melhor para achar uma xicrinha antiga bacana do que nestas feirinhas. Em seguida, experimento uns chapéus lindos numa loja ao lado da feira.

Tomo um café com alfajor no Havanna e continuo descendo a rua Defensa, aproveitando para curtir os artistas de rua.

Mais à frente, quase chegando na rua Carlos Calvo, paro para visitar o Mercado de San Telmo (que inclusive funciona todos os dias das 10h às 20h e é uma ótima opção para quem não vai ficar em Buenos Aires no domingo de manhã para a feira ao ar livre).  Só o prédio do mercado, construído em 1897, já vale uma visita. Dentro, mais lojinhas de antiguidades, brechós, açougue, floricultura e banca de frutas. Vale a pena dar um pulinho lá.

Na esquina da Defensa com a rua Estados Unidos paro novamente, desta vez para tomar um sorvete de dulce de leche no Freddo.  Seguindo pela Defensa,  a feira de antiguidades vai se transformando numa feira de artesanato. Ao lado e ao redor, lojas de artesanato e de objetos divertidos, galerias de arte, mais lojinhas de antiguidades.

Mais a frente, na esquina da Defensa com a rua Chile, uma surpresa: Mafalda, sentada em um banquinho, espera os turistas para fotos :-) Ao lado, o prédio onde viveu seu criador, Quino, e do outro lado da rua a banca de jornais tão presente nas tirinhas desta personagem ultrabacana (fotos gentilmente cedidas pela Lena Maximo).

Fotos: Maria Helena Maximo

Finalmente, hora do almoço. Optamos pela Brasserie Petanque, onde os pratos em geral estavam gostosos. A exceção foi mesmo um risoto meio sem graça. Fique nos pratos de origem francesa que você se dará melhor lá. Outra boa opção, para quem quer se esbaldar numa carne argentina, é a churrascaria La Brigada. Ou senão fique com a comida de rua, ótimas empanadas vendidas em tabuleiros ou um choripán, o cachorro-quente argentino, que vem com chorizo e molho chimichurri.

E foi-se um domingo :-D

Compartilhar/Favoritos
11 Comentários
  1. Eu tenho que me repetir…saudades! Foi tão agradável nosso domingo, não?
    Mas eu confesse que não gostei da Brasserie Petanque, não…Exceto, claro, pelo garçon, que era hilário.

    • Pois é, a Brasserie Petanque foi desequilibrada né? O prato do Mike estava muito bom, eu testei! O meu risoto deixou muito a desejar. Mas valeu muito :-D

  2. Lú, o passeio é divertidíssimo. Tem ainda umas bancas de livros usados onde o Maurício comproum uma edição antida do clássico argentino Martin Fierro por menos de 5 reais. E quanto ao choripan, é linguiça com pão e molho. O cachorro- quente deles se chama super-pancho.

    • Obrigada Paula pela explicação! Eu não sabia do super-pancho :-) Achei que só tinha cachorro-quente de linguiça mesmo :-)

  3. Só fala mal da Feira de San Telmo quem não sabe ser feliz! É um dos melhores programas de Buenos Aires! O post está sensacional! Bjs!

  4. Lu, também sou mais uma que adoro a Feira de San Telmo. Tem muita antiguidade boa, à venda. Comprei há uns anos atrás, duas peças de tartaruga loura que são raras e muito caras, por um preço super em conta. Vi louças e talheres lindíssimos.

    Quanto à Brasserie Pétanque, sempre comemos muito bem por lá, mas em fevereiro, achei que não estava tão boa. Para compensar a alta dos preços com a inflação, no prato executivo, diminuiram o tamanho da porção da entrada, sempre peço umas ótimas terrines, e da sobremesa. O garçon me disse que no menu normal, isto não acontecia. O pato deles é ótimo.

  5. Como que queria ter ido para a ConVnVenção em Buenos Aires.. No final teria para ter ido.. Mas não faltarão oportunidades..

    Este é sem dúvida um dos programas indispensáveis num visita a capital argentina.. Adorei as fotos e o post

    • Obrigada Oscar :-) Que pena mesmo que você não foi, fez falta viu!

  6. Olá Luciana, o teu post sobre San Telmo me convenceu a ir por lá :).
    Já vou encaixar na programação de domingo em Buenos Aires, tô indo próxima semana.
    Valeu pela dica do post.
    Um abraçø

Deixe um comentário

Deixe um comentário